• 13 de Dezembro, 2021

Possuir um pé de meia é essencial para ter uma vida mais descansada. Seja para assegurar o seu futuro como também fazer face a despesas inesperadas e, claro, realizar alguns sonhos, a poupança é muito importante. Para isso, é aconselhável que se organize de forma a conseguir colocar algum dinheiro de parte todos os meses.

Se acha que não consegue poupar porque no fim do mês quase não lhe sobra dinheiro do seu ordenado, deverá pensar de outra forma. Uma das principais regras da poupança é pagar-se a si mesmo em primeiro lugar.

E o que quer isto dizer? A poupança deve ser feita assim que recebe o seu salário, ou seja, assim que recebe deve logo colocar uma parcela de parte. Tentaremos de seguida dar alguns conselhos de como poupar algum dinheiro.

Colocar uma percentagem do ordenado de parte

Idealmente quanto mais poupar melhor, mas claro que nem todas as pessoas têm a mesma almofada financeira devido a vários fatores como o rendimento líquido e as despesas fixas mensais.    Alguns especialistas em finanças pessoais sugerem colocar de parte 20% do seu salário para a poupança mensal. Segundo a regra dos 50-30-20, a ideia é usar metade do montante para as despesas básicas, 30% para gastos indiscriminados e 20% para uma poupança mensal fixa.

Claro que, como já mencionámos antes, nem toda a gente consegue comportar este valor de poupança sem que lhe fique a faltar para o indispensável. Deverá então definir qual é o valor mais confortável para si. O importante é poupar algum dinheiro, mesmo que seja 10%, 5% ou mesmo 1% do seu salário.

Se pelo contrário conseguir colocar de parte mais que os 20% deverá fazê-lo. Para facilitar este processo e para que não se esqueça deste compromisso, pode recorrer às transferências automáticas.

Agende a transferência automática no início do mês da sua conta à ordem para outra conta destinada à poupança. Pode fazê-lo através do seu homebanking, onde pode definir qual o montante a transferir e ir gerindo as suas poupanças.

Ter em conta as Despesas fixas

Luz, água, telecomunicações, renda ou alimentação, são algumas das despesas às quais não pode fugir todos os meses. Assim que recebe o seu salário, deve reservar uma parte destinada a pagar os gastos fixos do mês. Nem sempre as datas de pagamento de algumas destas faturas coincidem, se colocar de parte uma fração do seu salário para o pagamento das mesmas, poderá gerir melhor o seu orçamento mensal.

Não descure os pequenos prazeres

As poupanças não servem apenas para fazer face a situações de emergência. Ter uma almofada financeira é essencial para acautelar imprevistos, mas também pode ter várias poupanças com objetivos diferentes: comprar um carro ou fazer a viagem dos seus sonhos por exemplo.

De igual importância é poder fazer algo que gosta e lhe dá prazer tal como ir ao cinema, viajar, comprar uma peça de roupa ou fazer outra atividade, deve definir um montante destinado a pequenos prazeres. A vida não se resume à poupança.

Para poder fazer esta poupança facilita que saiba quanto ganha ao final do mês. Nem todas as profissões ou trabalhos têm uma remuneração fixa que facilita bastante estas contas.