Renda (Rent)
  • 1 de Agosto, 2022

Os investidores costumam referir-se a um investimento extremamente seguro com a frase “ Tão seguro quanto as casas ”.

Isso mostra a mentalidade tradicional de que o setor imobiliário é uma das opções de investimento mais seguras. A corrente de pensamento da velha escola acredita que o investimento imobiliário é amplamente livre de riscos e fornece a melhor protecção contra a inflação.

No entanto, o mundo descobriu recentemente, após vários acidentes imobiliários, que as casas não são tão seguras quanto eram consideradas . Este artigo enumera os vários riscos que um investidor tem de enfrentar ao investir em imóveis. Alguns dos riscos comuns são os seguintes:

1: Risco de maus inquilinos

Muitas pessoas que investem em imóveis geralmente investem para os alugar. A suposição por trás desse aluguer é sempre de que os inquilinos serão bons, que pagam a horas e não destroem a propriedade ou criam outros problemas legais.

No entanto, a pesquisa mostrou que há estatisticamente uma boa chance de que os investidores nem sempre encontrem um bom inquilino. Maus inquilinos são classificados como o risco número um pelos investidores imobiliários mais experientes. Embora apenas uma porcentagem muito pequena de investidores enfrente maus inquilinos, há uma boa hipótese de lhe aparecer um e acabar com custos legais altos para resolver a situação. Assim, o investimento imobiliário é também um negócio do povo. Esta é a razão pela qual deve averiguar bem, o background dos seus inquilinos, seja no score do crédito junto do Banco de Portugal ou pedindo o registo criminal com o intuito de minimizar este risco.

2: Riscos de Liquidez

Os investimentos imobiliários são provavelmente os mais ilíquidos em comparação com todos os outros investimentos. Isso porque a quantidade de dinheiro necessária para investimentos imobiliários é enorme e exige um compromisso enorme das finanças pessoais de qualquer investidor.

Ao contrário de ações, títulos e ouro que podem ser liquidados em poucos minutos, se o investidor precisar, os imóveis demoram muito mais para serem liquidados. Essa falta de liquidez tem que ser tida em conta no investimento imobiliário para garantir que não está a fazer uma má aposta.

3: Riscos da Contraparte

Muitas pessoas que compram imóveis costumam comprar unidades ainda em contrução. Estas são geralmente mais baratas e os construtores estão dispostos a fornecer um financiamento mais favorável. No entanto, a compra de unidades em construção também traz alguns riscos sérios.

Os investidores tornam-se vulneráveis aos construtoes. Além disso, muitas vezes estes não conseguem obter as licenças necessárias das autoridades locais. Como tal, o projeto fica atrasado. Como resultado desse atraso, os compradores acabam perdendo parte de seu investimento, pois precisam continuar a pagar o aluguer.

Assim, os projetos de investimento imobiliário estão sujeitos a riscos de contraparte. Os investidores precisam ser diligentes e ter um plano para mitigar esses riscos.

4: Riscos de Informação

O mercado imobiliário é extremamente opaco quando comparado a outros mercados. Há informações atualizadas e precisas disponíveis em mercados como ações, títulos e ouro. Pode-se usar os dados para avaliar as tendências na classe de ativos e tomar decisões informadas.

No entanto, quando se trata de imóveis, os únicos dados disponíveis são as agências locais. Essas agências têm interesses e, portanto, não têm motivos para fornecer informações confiáveis, logo os dados referentes aos valores de aluguer e capital atuais são, portanto, em grande parte, um palpite!

Os compradores, portanto, precisam ter múltiplas fontes de informação para que possam corroborar a validade dos dados que recebem. Esse risco também foi amplamente reduzido com o aparecimento dos portais imobiliários online. No entanto, o mecanismo de descoberta de preços permanece ainda muito opaco.

Investir em imóveis é um negócio sofisticado que exige muita experiência afim de evitar cair nos cenários acima