• 16 de Novembro, 2021

Ouve-se tanto falar da Euribor e quando pede um crédito à habitação lá vem novamente lá vem novamente a Euribor à berlinda.

Foi criado a 1 de janeiro de 1999, no mesmo dia em que nasceu a moeda única da União Europeia e, apesar de ter sido batizada de European Interbank Offered Rate, é conhecida por Euribor. Foi criada para harmonizar as taxas de juro interbancárias na zona euro, a partir do momento em que uma só moeda (o euro) passasse a circular entre os países que a adotassem.

Durante algum tempo em ainda havia o Escudo ainda teve o nome de Lisbor, mas esse nome veio a desaparecer com p desaparecimento do Escudo.

Em que consiste?

Reflete o preço a que os bancos “vendem” o dinheiro no mercado interbancário. A Euribor é um indicador que traduz a taxa de juro dos empréstimos que os bancos comerciais fazem entre si na zona euro. Sim, os bancos também emprestam dinheiro uns aos outros e a razão é do mais fácil de compreender: porque precisam.

O indexante é definido diariamente pela Federação Europeia de Bancos e obtido através da média das taxas de juro anunciadas por 52 grandes instituições de nível europeu. A Caixa Geral de Depósitos é o único banco português a integrar este grupo.

No cálculo da média, excluem-se 15% das taxas mais altas e 15% das mais baixas, para chegar a um valor o mais preciso possível. Os resultados são anunciados todos os dias, às 10 horas.

É o Banco Central Europeu que fixa o valor?

Apesar do Banco Central Europeu (BCE) influenciar e muito o comportamento dos bancos comerciais nesta dinâmica do crédito interbancário, não é quem fixa o valor, ou seja, se a política definida pelo BCE for no sentido de dinamizar a economia (expansionista), as taxas de juro tendem a baixar, para que o dinheiro fique mais barato e acessível.

Se, por outro lado, for necessário adotar medidas mais restritivas, para retirar liquidez da economia e, assim, controlar, por exemplo, a inflação (subida dos preços), as taxas terão propensão para subir. Como os bancos também se financiam junto do BCE, tendem a replicar estas tendências.

Porque está a Euribor negativa, se são os bancos que a definem?

Após a crise financeira de 2008 a Instituição então liderada por Mario Dragui e os próprios bancos comerciais, para darem um empurrão à economia, começaram a definir taxas de juro negativas. A Euribor, que, reflete essas taxas entrou em terreno negativo.

Em que me afeta a Euribor?

Bastante. Adquiriu casa própria com recurso a um crédito à habitação com taxa variável? Se sim faz parte de uma imensa maioria. Em Portugal, cerca de 95% dos créditos hipotecários são de taxa variável.

A taxa de juro é definida por duas componentes somadas entre si: Euribor (nas suas diversas maturidades, sobretudo, 3, 6 e 12 meses) e spread fixo (margem de lucro do banco). A Euribor resulta da média mensal do indexante no mês anterior ao contrato de crédito.

O que são as maturidades de 3, 6 e 12 meses?

No decurso do contrato do crédito à habitação, o valor do indexante é revisto a cada 3, 6 ou 12 meses, dependendo da maturidade (ou seja, prazo) da Euribor escolhida. Os valores calculados para os diferentes prazos são diferentes. Em Portugal, a maior parte dos empréstimos para a compra de casa estão indexados à Euribor a 6 meses, apesar de, nos novos contratos, a Euribor a 12 meses já ser predominante. O valor da prestação a pagar ao banco pode, assim, variar através da revisão periódica da Euribor.

A Euribor é muito instável?

Não é um valor fixo, por isso há sempre uma oscilação, que tem, necessariamente, reflexo na prestação mensal a pagar ao banco. De recordar que a Euribor é a componente variável da taxa de juro aplicada ao contrato de crédito. Se a média subir, a taxa também aumenta (e, por consequência, a prestação) e vice-versa.

Quando e como é aplicada a taxa de juro negativa no crédito à habitação?

Em 2018, foi aprovada legislação que obriga os bancos a refletirem, na totalidade, as médias negativas da Euribor. Nos casos em que a média ultrapassa o valor do spread, é possível criar um crédito para abater nos juros futuros, quando as taxas subirem. Se tem um empréstimo com taxa variável, some a média da Euribor ao spread. O resultado é negativo? Tem direito ao crédito de juros aprovado. Ou a ver este montante abatido ao capital em dívida, opção que a maior parte dos bancos está a seguir.

Voltará a Euribor a terreno positivo?

Não será para já. Mas há-de acontecer. E esse pensamento deve estar sempre na cabeça de quem faz um crédito à habitação. Pela simples razão de que um contrato destes dura, em média, 30 anos. Não é credível, de todo, e nem a história o prova, que a Euribor não tenha várias vidas ao longo desse tempo.