• 2 de Dezembro, 2021

Tem entre 18 e 35 anos e está a pensar a pensar comprar casa e para isso pensa fazer um crédito habitação jovem.

Na altura de adquirir casa a grande maioria das pessoas recorre ao crédito habitação e claro os jovens estando no princípio da sua carreira profissional ainda mais. O crédito habitação jovem trata-se de um empréstimo que oferece condições especiais para pessoas entre os 18 e os 35 anos que queiram comprar casa.

Por isso, se está a refletir sobre pedir um crédito habitação jovem saiba que, na maioria dos casos, é necessário ter uma entrada inicial que pode ser de 10% ou 20% do valor total do empréstimo. Isto porque os bancos emprestam, no máximo, até 90% do valor do imóvel, exigindo assim que o cliente assuma o restante valor. Mais ainda, a instituição bancária vê o fiador como uma garantia. Por isso, saiba que condições tem de reunir para que não seja necessário possuir um.

O fiador é alguém que se compromete a assumir a responsabilidade de pagamento da dívida de outra pessoa e é chamado mediante incumprimento do contrato de crédito. Mas necessita sempre de fiador?

O fiador é exigido sempre que a entidade bancária identifique algum risco de incumprimento do crédito por parte do cliente e quando existe uma taxa de esforço elevada. Os bancos também pedem um fiador caso tenha um histórico de crédito irregular ou uma situação financeira pouco estável.

Mas, se se verificar uma situação estável e cumpridora, é possível conseguir um crédito habitação jovem sem ser necessário recorrer a fiadores.

De realçar que existem muitas opções de crédito habitação jovem com diferentes condições e vantagens. Por isso, para escolher o mais adequado à sua situação poderá recorrer a um simulador para o ajudar a perceber quanto poderá pedir e quanto irá pagar.

Terá também que ter em conta outros fatores:

Spread

Taxa de juro aplicada pelos bancos nos contratos de crédito. É a margem de lucro do banco;

TAEG (Taxa Anual Efetiva Global)

Representa todos os encargos do crédito desde comissões bancárias, despesas com impostos, registos, entre outros;

MTIC (Montante total imputado ao consumidor)

Permite ao cliente saber quanto (realmente) lhe vai custar o crédito habitação jovem. Esta sigla corresponde ao montante total que o cliente terá de pagar à instituição bancária pelo crédito. Este valor resulta da soma do valor do empréstimo com os custos do crédito (comissões, juros, impostos);

Taxa Fixa

Significa que a taxa de juro se mantém igual durante todo o prazo do empréstimo. Normalmente tem um valor mais elevado que a taxa variável, no entanto o cliente sabe sempre quanto vai pagar;

Taxa Variável

É calculada pela soma do spread e do indexante (Euribor). Varia ao longo do crédito. Ou seja, a taxa de juro a pagar sobe ou desce consoante as alterações da Euribor. Tem uma prestação mais baixa que a taxa fixa, mas não se consegue saber com certeza o valor a pagar;

Taxa Mista

É aplicada uma taxa fixa durante o período inicial do crédito – 5, 10, 15 anos – e após esse período aplica-se a taxa variável. Pode ajudar numa organização do orçamento familiar durante os primeiros anos uma vez que durante esse período de tempo se consegue prever quanto se paga;

Taxa de esforço

Representa a percentagem do rendimento total do agregado familiar destinada ao pagamento de créditos. Ou seja, ajuda a compreender qual é o orçamento disponível para fazer face às despesas diárias após o pagamento das prestações de crédito.