Mercado Imobiliário
  • 10 de Abril, 2023

Contrair um crédito é um processo cada vez mais utilizado pelos portugueses, no entanto, muito facilmente se tornam num fardo financeiro real quando se prepara para o futuro. Viver com dívidas nunca é fácil, por isso, livrarmo-nos delas é um sonho que qualquer ser humano tem quando está endividado, sobretudo quando a dívida é grande e as mensalidades parecem nunca acabar. Se quer dormir novamente em paz à noite, o ideal é livrar-se dessas responsabilidades o mais rápido possível. Este é definitivamente o pensamento que deve ter em mente para encarar o pagamento do empréstimo com a
maior seriedade e disciplina.

Porque devo pagar mais rápido ?
O pedido de empréstimo é por vezes bastante útil, quase obrigatório para conseguir atingir algum objetivo de vida. Quando existem projetos relacionados com um desejo ou mesmo a necessidade que exija um financiamento rápido, a solução mais simples para ter esse dinheiro é contrair um empréstimo.
No entanto, um empréstimo representa um esforço financeiro, tanto em termos de duração, como em termos de finanças, influenciando assim o quotidiano e o modo de vida de uma família. Independentemente da sua natureza, um empréstimo é sempre negociável, pode negociar as suas mensalidades aumentando-as ou diminuindo-as. Para tal, deve falar com a instituição bancária de modo a ajustar o valor da sua mensalidade bem como a taxa de juro que será então atualizada de acordo com as novas mensalidades renegociadas

O que fazer ?
Gostaria de saber como pagar a sua casa mais rapidamente? Saiba que existem algumas opções. Mas antes de explorá-los, é muito importante fazer um balanço da sua situação financeira atual. Olhando para a conjuntura atual, se a inflação ou o aumento das taxas de juro estão a afetar as suas finanças, é importante considerá-los. Se a sua situação financeira é estável, existem algumas formas de pagar o seu empréstimo mais rapidamente.

1- Obtenha uma visão geral
Ao saber ao certo os números em detalhe é que fica a saber como poderá reduzir as dívidas e livrar-se delas o mais rapidamente possível. Faça uma lista das suas dívidas de modo a organizar a metodologia de pagamento. A seguir, compare todas as suas despesas e receitas de forma a encontrar o potencial de otimização, considere os seus créditos, faturas mensais, cartões de crédito, entre outros, nada deve ser esquecido.

2- Elabore um plano
É a forma mais lógica de pagar um empréstimo, desde economizar todos os dias, mesmo que não consiga economizar grandes quantias, pequenas quantias também fazem a diferença, já diz o ditado “grão a grão, enche a galinha o papo”. Elabore um orçamento de modo a analisar onde pode economizar dinheiro e canalizá-lo para o pagamento do empréstimo. É importante que reduza a dívida que mais provavelmente lhe causará problemas no curto prazo.
Depois de pagar as dívidas mais urgentes, organize as suas dívidas de acordo com o seu valor. Comece por pagar as dívidas de menor quantia. Assim, a lista de dívidas diminui rapidamente e psicologicamente se sente mais motivado por ter ultrapassado mais uma barreira e assim mantém o controlo da sua dívida em geral.

3- Minimizar despesas
Na maioria das famílias, existe muito potencial de otimização, especialmente no que toca a despesas, desde gastos desnecessários a compras por impulso, são todas despesas em que é possível cortar. Use a maior percentagem possível das suas capacidades financeiras para tentar reduzir as suas dívidas.

4- Obtenha rendimentos extra
Outra estratégia que pode adotar é ter um rendimento extra, os chamados “biscates” e dedicar esse dinheiro para um aumento das mensalidades ou preparar futuras amortizações. Para colocar essa estratégia em prática pode ser necessário recorrer a um trabalho em part-time, mudar de emprego, iniciar uma atividade empreendedora nas horas vagas, vender itens que já não usa ou necessita nas plataformas digitais. Esta estratégia vai, contudo, depender do seu esforço e dedicação, nenhum esforço é supérfluo, 100 ou 150 euros extra por mês já faz uma grande diferença no reembolso do seu
empréstimo. Tem mesmo de querer muito pagar o seu crédito mais rapidamente de forma a manter-se focado e motivado. Ao pagar mais, reduz os juros e os anos a pagar.

5- Acelerar a frequência dos seus pagamentos
Pagar por mês ou dividir esse valor e pagar a cada 2 semanas?

Confuso, nós explicamos:
Prefere pagar 1000 euros por mês ou 500 euros a cada 2 semanas?
Se quiser acelerar o pagamento de um empréstimo, então a melhor estratégia é a segunda. Divida o pagamento mensal pela metade e comece a pagar esse montante a cada 2 semanas, desta forma, efetua 26 meias prestações num ano o que equivale a um pagamento mensal adicional completo. Explicando por números:
1 ano = 12 meses > 1000 x 12 = 12.000 euros
1 ano = 52 semanas > 26 x 500 = 13.000 euros

Este 13º pagamento é o chamado acelerador que permite pagar mais rapidamente o seu empréstimo. A frequência de pagamento pode parecer insignificante, mas a longo prazo vai sentir a diferença.

6- Renegociar mensalidades e reduzir prazos. Se a sua carteira permitir, porque não renegociar as suas mensalidades?

Quanto mais pagar?
por mês, menos mensalidades serão necessárias para pagar o que deve ao banco. Ao aumentar o valor da sua mensalidade reduz o prazo, logo, o crédito terminará mais rápido que o planeado, além disso, acaba por pagar menos juros porque o número de prestações é menor.

7- Amortizar
Caso tenha um ganho inesperado/extra, um bónus, herança, venda de um imóvel, aumento de salário ou outro tipo de ganho, pode optar pela amortização parcial do empréstimo. Se conseguir amortizar na totalidade, fantástico, não terá mais nenhuma mensalidade a pagar e os juros que ficaram por pagar não serão liquidados. Se não conseguir pagar na totalidade, o reembolso parcial também tem os seus benefícios.

Ao ficar a dever menos ao banco faz com que reduza o valor dos juros porque estes são calculados em proporção do montante em dívida. Se o montante baixar, baixam também os valores dos serviços associados que subscreveu na altura em que contraiu o empréstimo. Normalmente, ao amortizar um crédito, é solicitado pelo banco o pagamento de uma comissão de amortização. Nos empréstimos com taxa variável a percentagem fixa-se no 0.5%, nos empréstimos com taxa fixa a percentagem altera para os 2%. No entanto, o Orçamento de Estado deste ano (OE2023) permite amortizar o crédito habitação com taxa variável, antecipadamente sem pagar comissões até ao final de 2023.

Portanto, se conseguir, a amortização poderá ser interessante se pensa em pagar o crédito mais rapidamente.