• 28 de Dezembro, 2022

Não é nenhum segredo que construir uma casa em Portugal é um processo
bastante dispendioso. Economizar na casa nova é um assunto que lhe vai
interessar se pretender construir. Por norma, este é um projeto caro, tão caro que colocamos as nossas economias fazendo com que a maioria das pessoas fiquem endividadas durante 20 a 30 anos, portanto, é sempre bom procurar o que e, em como podemos economizar durante uma construção.

No entanto deve ter cuidado na altura de escolher no que economizar, a sua
análise não deve prejudicar a qualidade, seja em mão de obra, seja em
materiais. Como tudo na vida, deve haver um equilíbrio. Para ter sucesso na
construção da sua casa, sem estourar o orçamento, existem princípios básicos que deve considerar no sentido de fazer as escolhas certas para gastar menos e de forma inteligente.

Conheça o seu orçamento e o custo total de construção

Antes de iniciar um projeto de construção, existem duas coisas essenciais que deve saber: a sua situação financeira e saber controlar o seu orçamento. A partir daí pode conseguir antecipar e distribuir adequadamente cada despesa. Preparar bem o seu orçamento
significa evitar surpresas no custo da obra e ao mesmo tempo estar organizado de modo a saber onde poupar.
Para saber qual será o orçamento geral, o que precisa fazer é, marcar uma reunião com o seu banco. De acordo com as suas receitas, despesas e a contribuição pessoal que deseja colocar, ficará a saber o que pode pedir emprestado e quanto tem para a totalidade do projeto: terreno, casa e os custos adicionais. Antes de avançar, deve ter uma estimativa o
mais precisa possível de cada item de despesa que uma obra normalmente gera, desde o preço de mercado do terreno, custos por metro quadrado numa casa nova, dependendo dos serviços desejados. Deve também entrar em contacto com os órgãos públicos para saber quais os impostos a serem cobrados pela execução do projeto. Se acompanhar as despesas desde início e tiver um plano bem pensado, já é uma boa prática para economizar algum dinheiro.

A escolha do terreno

A compra do terreno é uma das maiores despesas de um projeto de construção, logo, deve ser analisado com muito cuidado. Construir uma casa em terreno plano é mais barato do que em terreno inclinado, deve também saber analisar os tipos de terreno pois dois terrenos visivelmente semelhantes à primeira vista, podem ter valor distinto, podendo um
tornar-se mais caro que o outro se não tiver em conta certos aspetos. Em primeiro lugar, a natureza do solo, solo muito solto ou argiloso levará certamente a fundações especificas e mais caras. Outro aspeto muito importante são as conexões e a distância a que se encontram, pois quanto mais longe for a busca por eletricidade, água ou gás, maior vai ser a
despesa.

Tenha também em consideração que um terreno no local certo pode ajudar a economizar muito no orçamento, uma casa própria na cidade oferece a vantagem de curtas distâncias e boas conexões de transporte, mas costuma ser muito mais cara que um imóvel do mesmo tamanho fora da cidade. Se preferir o ambiente urbano, pode procurar por terrenos nos arredores da cidade ou alargar um pouco o perímetro em busca do terreno ideal de acordo com o seu orçamento.

Planta da casa simples e compacta para uma construção mais barata

Com um terreno do mesmo tamanho, duas casas podem ter um custo diferente, não nos referimos só à qualidade dos serviços e equipamentos, falamos sim, da otimização da planta no projeto da casa que pode gerar uma economia de muitos euros. No geral, quanto mais vãos e volumes escalonados uma casa tiver, maior será o preço para construir, devido ao
facto de exigir mais material e mão de obra.

Seguindo o mesmo princípio, o custo de construção de uma casa de um andar será menor que uma de dois andares, não é por acaso que as casas de “preço baixo” que encontramos nos catálogos dos fabricantes, são aquelas com formas básicas e retangulares. Portanto, pense cuidadosamente sobre o espaço que pretende realmente precisa, espaços de baixa utilidade como, corredores e escadas, não requerem muitos metros quadrados, então, pode
reduzir nesses espaços e utilizar esse espaço poupado para usar em outras divisões. Um design aberto (open space) com sala de estar, cozinha e sala de jantar conectadas criam um tamanho ótico e é uma forma de aproveitar o espaço.

Obra

Ter um empreiteiro geral costuma dar uma certa segurança, esta dá-lhe um preço garantido que não muda, desde que não queira fazer grandes alterações, tem também uma pessoa de contacto permanente e normalmente estimam uma data de conclusão. No entanto, estes
tipos de empreiteiros são bem pagos pelos seus riscos e, muitas vezes, utilizam mão de obra pouco qualificada e material que deixa a desejar.

Então porque não considerar em ser o gestor da sua obra?

Contratar você mesmo os trabalhadores e comprar os materiais de construção é, provavelmente, uma boa forma de economizar dinheiro na gestão de um projeto da casa. Se não dominar perfeitamente as diferentes etapas e custos da construção para coordenar adequadamente a obra, pode
sempre contratar 1 arquiteto para o ajudar, sempre fica mais barato que contratar uma empresa de construção.

Bioclimatismo e a economia ao longo prazo na eficiência energética
Em qualquer conceção de um plano para o seu futuro lar, a economia deve ser antecipada nos próximos anos graças ao bioclimatismo. Construir uma casa bioclimática é o conceito que visa reduzir o impacto no meio ambiente aproveitando ao máximo os recursos naturais. Assim, otimizando a disposição da casa no terreno, a exposição e distribuição das divisões e
o seu tamanho poderá fazer com que economize dinheiro todos os anos, na sua conta de energia.

Não economize no isolamento térmico ou no sistema de aquecimento, pode compensar na hora, mas não vai compensar a longo prazo. Por vezes, o barato sai caro, então, mesmo que o preço inicialmente pareça alto, a construção energeticamente eficiente vai acabar por ficar mais barata no futuro.

Meta mãos à obra

Reserve trabalho para economizar dinheiro na sua nova casa. Mesmo que não seja um profissional ou entendido na matéria, existem alguns trabalhos que são acessíveis e que pode fazê-los em vez de pagar a alguém para o fazer. Se é daquelas pessoas que nem uma lâmpada sabe mudar, então, está na hora de começar a ser um “faz-de-tudo” pois se quer economizar dinheiro, vai ter de arranjar um fato de macaco e reservar algum do seu tempo para umas sessões de bricolage.

Não se preocupe, se não souber, de certeza que tem amigos que sabem e que terão todo o gosto em ajudá-lo. Se não for esse o caso, relaxe, existe uma infinidade de vídeos tutoriais nos sites de bricolage ou no Youtube. Pode certamente pensar em pintar paredes, montar
móveis de cozinha ou da casa de banho (normalmente trazem livros de instruções), colocar chão flutuante, entre outros serviços. Tente ser realista sobre as suas habilidades e capacidades em ser um “faz-de-tudo”, não considere certos trabalhos, podem parecer fáceis à primeira vista, mas se não for bem feito no presente, podem tornar-se caros no futuro, o
equilíbrio é a chave do sucesso.