• 31 de Janeiro, 2022

Estes são os pontos mais importantes a ter em mente quando quer comprar casas de bancos, porque acha que são mais baratas, mas não sabe se serão a melhor opção.

Se está atualmente numa boa situação para adquirir uma casa, certamente já lhe passou pela mente a possibilidade de comprar ao banco.

Geralmente, a maior parte das pessoas pensa que através deste tipo de operação é possível, como que por magia, comprar uma casa por um preço muito inferior ao estipulado pelo mercado para as restantes casas. Obviamente, e no caso do mercado imobiliário, numa operação desta envergadura, as coisas podem não ser tão simples.

É verdade que a compra de apartamentos junto dos bancos é uma forma muito útil para muitas famílias ou pessoas que, por não terem recursos económicos suficientes, veem nesta operação uma forma de obter uma casa a um preço mais acessível.

Mas, como já referimos, não vamos pagar muito menos e existem algumas vantagens e regras básicas a ter em conta para tentar conseguir o melhor negócio que nem sempre será vantajoso.

7 dicas para comprar casas de bancos:

1. Leve o mercado em consideração

 Quando vamos comprar uma casa, inclusive se for uma casa de banco, devemos ter em consideração o estado atual do mercado, não apenas num nível geral, mas consultar também os preços das casas novas e usadas na área desejada como termo de comparação. Há que pensar muito bem em todos os aspetos antes de tomar uma decisão.

2. Visite sempre os apartamentos antes de assinar qualquer coisa

Esta é uma regra básica quando vamos comprar uma casa, seja do banco ou não. Antes de assinar qualquer contrato, devemos sempre visitar o imóvel e verificar com os nossos olhos a veracidade de todas as imagens que o banco nos irá mostrar anteriormente.

3. Aproveite as facilidades oferecidas pelo banco

Se for necessário contar com a ajuda profissional de um consultor, valerá a pena, pois devemos perguntar aos bancos e comparar as facilidades que um ou outro nos oferece. O nível de endividamento que adquirimos dependerá dessa decisão, e por isso é necessário ter esses aspetos muito claros e saber o que cada banco propõe.

4. Leia as letras pequeninas

 Temos que lembrar mais uma vez que, afinal, estamos nos comprometendo diretamente com o banco. Isto significa que eles podem tentar “se infiltrar” em algumas cláusulas que você poderá não está interessado em assinar. É por isso que você deve estar muito atento e entender cada pargrafo do contrato que irá assinar.

5. Stock

Os bancos têm hoje uma oferta de habitação variada, e com apartamentos de muito bom nível que pode obter a preços interessantes. Pesquise e com paciência, pois após a crise imobiliária foi banido o mito de que os apartamentos dos bancos são casas em mau estado, velhas, etc… Nem todas são assim e você pode encontrar excelentes negócios.

6. Negocie pelo menor preço

Devido à falta de liquidez dos bancos, eles têm em seu poder um número cade vez maior de casas que querem vender e quanto mais cedo melhor, mas não as querem vender com prejuízo. Procure a melhor janela negocial e ajuste um pouco o preço final.

7. Pesquise bem na Internet

As imobiliárias perceberam a oportunidade que a compra de casas em bancos representa para muitas pessoas e cada vez mais dispõem das mesmas no seu portfolio. A Internet está repleta de portais imobiliários que funcionam nesse sentido.