• 23 de Dezembro, 2021

Comprar casa nem sempre é a melhor solução. Há casos em que o arrendamento é mais adequado à sua situação, apesar do aumento astronómico das rendas em algumas zonas do país o que leva a que cada vez mais o “Comprar” seja uma opção muito mais viável e gratificante ao longo do tempo.

A aprovação do crédito habitação nem sempre é possível e mesmo quando é possível, em muitas situações o imóvel é resgatado pela instituição bancária pela falta de pagamento das mensalidades do empréstimo.

No caso do arrendamento, apesar de em alguns casos pedirem fiador é muito menos frequente no caso dum empréstimo que salvo que lhe é quase sempre exigido, salvo poucas exceções.

Se a situação profissional é algo instável, talvez seja melhor considerar esta opção. Desta forma não fica preso a um crédito de 30 ou 40 anos e, na possibilidade de ficar sem o emprego ou com condições mais precárias, não é tão complicado de descalçar a bota. Até porque hoje praticamente todos os bancos exigem que a situação laboral dos proponentes seja estável e efetiva.

Se o seu trabalho não é necessariamente sempre no mesmo local, como o caso dos professores que não estão ainda nos quadros duma escola veja o arrendamento como a melhor solução. Não vale a pena comprometer-se para uma vida inteira quando passado um, dois ou cinco anos vai voltar ao seu local de origem, ou até mesmo partir para um novo destino, e depois tem aí um problema para resolver.

Outra das questões que deve sempre considerar é a necessidade de financiar a manutenção da casa quando a compra. No caso do arrendamento, não deverá ter preocupações. Todas as manutenções, como infiltrações, pintura e até mesmo canalizações são obrigações do seu senhorio e para isso bastar-lhe-á a comunicação desses problemas ao mesmo.

Caso seja jovem e queira ganhar a sua independência e sair da casa dos seus pais sem ainda ter a certeza de qual a casa ideal para si o arrendamento será a melhor opção.

Caso o seu historial de crédito seja um pouco negativo, dificilmente conseguirá uma aprovação no banco para crédito habitação e talvez seja melhor equacionar arrendar.

Na altura da análise das condições, o banco verifica sempre a sua situação cadastral financeira junto do Banco de Portugal, onde lhes é fornecida toda a informação de prestações de crédito que possui, cartões de crédito e indica ainda a situação em que está cada um deles: regular, com prestações em falta, montante do plafond gasto. Se possui uma ou mais prestações por pagar é mesmo uma das situações em que compensa arrendar em vez de comprar.

Antes de lhe ser atribuído um crédito à habitação é lhe calculada a taxa de esforço e essa taxa consiste essencialmente em fazer o balanço entre os ganhos mensais e as despesas. Depois, depende de entidade para entidade fixar a percentagem máxima de taxa de esforço a partir da qual já não atribuem crédito. No caso do arrendamento, como o pagamento é feito mensalmente e não precisa dar um grande montante à cabeça, esta é outra das situações em que compensa arrendar em vez de comprar.

Pode também em alguns casos conseguir comprar a casa que arrenda. Apesar de não ser muito comum acontece e em alguns casos poderá até amortizar no valor da compra algum do montante já gasto em rendas.

Não se esqueça que comprar casa é uma decisão que deve ser bastante ponderada e é também uma enorme responsabilidade a longo prazo.