Dicas Comprar Casa (Home Buying Tips)
  • 20 de Abril, 2023

Hoje em dia, comprar uma casa ou apartamento é uma decisão que não deve ser tomada por impulso ou de ânimo leve, existem muitos fatores e etapas que deve ser percorrido para que o processo ocorra sem problemas. Muitos parâmetros devem ser levados em consideração antes de comprar uma casa.

Orçamentos, compromisso, ação, podem ser etapas que que façam com que os compradores se percam. Para evitar isso, listamos aqui algumas etapas essenciais na hora de adquirir um imóvel.

Defina o seu orçamento de compra
A definição precisa do seu orçamento para comprar uma casa é sem dúvida o passo mais importante no processo de compra de uma casa ou apartamento. É a partir deste cálculo que tudo irá processar. Normalmente, a compra de um imóvel requer uma quantia alta, tão alta que, por vezes, não temo escolha a não ser fazer um empréstimo à habitação. O recomendável é que se dirija a uma instituição bancária e faça uma simulação de crédito imobiliário com as condições atuais de forma a calcular a sua capacidade de endividamento e estimar o custo total do seu crédito.

Lembre-se, é recomendável que o seu índice de endividamento não ultrapasse os 35%. Este índice permite saber com clareza se possui uma condição financeira estável e constante. É muito importante que este orçamento seja o mais completo e detalhado possível de modo a evitar surpresas ou derrapes inesperados. Para comprar um imóvel não basta apenas comprar pelo valor anunciado e já está, deve também ter em conta os custos associados à compra na altura que definir o seu orçamento, custos esses como:

  • A contribuição pessoal que é de cerca de 10% do valor total do empréstimo;
  • Montante que vai pagar na altura em que assinar o contrato de promessa de compra
    e venda;
  • Custos do crédito como o Imposto Selo (IS), Imposto Municipal sobre as
    Transmissões onerosas de imóveis (IMT), Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI),
    Conservatória;
  • Custos de seguros como, o seguro de vida e seguro multi-riscos;
  • Despesas inerentes à compra de uma casa como, condomínio, recheio da casa, entre
    outros.
    Qual o imóvel que idealiza
    Agora que já tem um orçamento definido, está na altura de definir e procurar a sua casa de
    sonho. Existem diversas formas de procurar casa, embora a Internet seja a forma mais
    utilizada pelas pessoas, toda a ajuda é bem-vinda, portanto, está na altura de pôr os
    conhecimentos em ação. Peça também aos seus familiares e amigos para lhe ajudarem na
    procura de casa, quantos mais olhos em busca melhor.
    Pode também trabalhar em conjunto com agências imobiliárias, estas possuem um maior
    conhecimento e um maior mercado ajudando-o a encontrar o imóvel que pretende. Em
    troca desse serviço, a imobiliária cobra uma percentagem sobre o valor de compra. Se já
    tem um imóvel idealizado que corresponde às suas necessidades, marque uma visita, é
    bastante importante visitar qualquer imóvel antes de tomar qualquer decisão. Nestas visitas
    deve ter em conta alguns critérios principais como:
  • Preço: faça um estudo de mercado e saiba qual o preço praticado pelos imóveis
    semelhantes na sua zona;
  • Localização: conheça o meio envolvente e a sua dinâmica, veja se tem comércio,
    transportes públicos, existem planos de construção futuros que lhe prejudiquem em
    termos de vista, acesso, conforto, etc.
  • O estado do imóvel: é novo ou usado? Está remodelado ou necessita de obras de
    remodelação?
  • Documentação legal exigida: tem dívidas de condomínio, hipotecas associadas,
  • diagnósticos imobiliários obrigatórios, etc.

Consultar condições bancárias em vários bancos
Se já tem uma ideia ou um alvo definido, está na hora de saber “com que linhas se coze”. Mesmo que já trabalhe com uma instituição bancária há muito tempo, não perde nada em verificar condições de financiamento em outros bancos, pelo contrário. Hoje em dia, para comprar uma casa deve comparar o valor dos financiamentos de modo a encontrar a solução mais vantajosa para a sua carteira.

Deve verificar qual o banco que lhe dá o spread mais baixo, comparar os juros bem como os valores dos diversos seguros obrigatórios. Esta comparação é fulcral na aquisição do melhor negócio para si, ou seja, vai-lhe indicar qual o banco que lhe cobrará a prestação mais baixa.

Apresente uma oferta de compra
Agora que identificou o imóvel que pretende, está na hora de passar à ação e enviar uma oferta de compra ao vendedor. Este documento deve ser um documento escrito contendo os dados de ambas as partes, a descrição do imóvel, morada, preço que propôs e condições de pagamento. Deve também indicar o período de validade para a aceitação ou rejeição da proposta.

Nesta fase da venda, existe espaço para negociar o preço. Existem pormenores que podem servir de indicador para tentar negociar o preço para um valor mais acessível como: se está à venda há muito tempo, localização, etc. A negociação é sempre possível, mas para não ofender o vendedor, utilize factos concretos na negociação.

Assine o contrato de compra e venda
O contrato de promessa de compra e venda (CPCV) é uma garantia em como se irá celebrar a escritura da venda da casa. É um documento regulado pelo artigo 410 nº1 do Código Civil onde demonstra o compromisso por parte do vendedor e do comprador salvaguardando assim as partes de possíveis situações de incumprimento de negócio,este documento:

Estabelece direitos e deveres de ambas as partes do negócio;

  • Especifica os valores acordados;
  • Define os termos e detalhes de venda;
  • Estipula as cláusulas do negócio que vão ser inseridas no contrato;
  • Para garantir que o contrato é redigido e revisto corretamente, este contrato é
    assinado num notário ou na agência imobiliária, dependendo do local onde foi feito
    o negócio.
    Num CPCV, normalmente é solicitada uma quantia de dinheiro de forma a garantir o
    cumprimento do contrato, o Chamado “sinal”. O mais habitual é dar 10% do valor total da
    compra, mas pode ser mudado, dependendo do que as partes quiserem acordar.
    Prepare os documentos essenciais
    Para acelerar o processo pode ir já preparando alguma documentação necessária para
    depois entregar ao banco:
  • Declaração da entidade patronal a confirmar que está em regime de contrato sem
    termo e, o valor do seu salário;
  • Última declaração de IRS e nota de liquidação;
  • Mapa de responsabilidade de crédito atualizado;
  • Extrato bancário (últimos 3 meses);
  • 3 últimos recibos de ordenado;
  • Cartão de cidadão;
  • Comprovativo de morada;
  • NIB;
  • Entre outras documentos que podem ser solicitados pelo banco.
    Escritura
    Por norma, todos os gastos relacionados com a escritura são da responsabilidade do
    comprador, sendo este também responsável pelo sítio onde se realizará a mesma. Antes da
    escritura, existe uma série de documentos que já devem estar na sua posse:
  • CPCV do imóvel;
  • Licença de Utilização;
  • Ficha técnica da habitação;
  • Pagamento do IMI atualizado (último recibo);
  • Certificado energético;
  • Distrate da hipoteca
  • Regulamento e certidão do condomínio (a confirmar que não existem valores em
    falta);
  • Caderneta Predial.

    Para comprar uma casa é imperial que tenha uma noção do contexto económico atual, desde os níveis de inflação às taxas de juros, tudo isso influencia no valor dos imóveis como é o caso da Euribor e dos Spreads. Portanto, deve escolher a melhor altura para aquisição de um bem imobiliário de forma a escolher o melhor produto a melhor preço. Depois de fechar o negócio e ter a chave na mão, faça também uma lista dos afazeres na hora de mudar, como notificar as entidades públicas sobre a sua nova morada e atualizar os dados pessoais.

    Tenha também um fundo de emergência porque a compra de imóvel, principalmente usado,pode trazer algumas surpresas desagradavelmente inesperadas, se for o caso, é muito provável que tenha de gastar algum dinheiro de que não estava à espera (canalizações, chão, infiltrações, entre outros). Mesmo que esteja tudo bem com o imóvel, pode sempre acontecer algum problema pessoal como, perder o emprego ou a taxa variável subir a prestação da casa de forma tão drástica que não consiga pagar o valor na totalidade, portanto, é sempre importante ter algum dinheiro de parte para fazer face a imprevistos.