• 3 de Novembro, 2022

A escalada do preço do gás nos mercados internacionais resultou numa
subida generalizada nas tarifas, subidas essas que já se começaram a sentir
na carteira dos portugueses.

Este aumento sentiu-se mais no mercado livre, por isso, o governo anunciou a possibilidade de qualquer cliente final com consumos anuais ou inferiores a 10.000m3 poder mudar gratuitamente para o mercado regulado onde estas tarifas registam um aumento de apenas 3.9% ficando ainda assim, 60% mais baixas face à comercializadora mais popular e 33% face
à opção mais barata do mercado livre.

Esta mudança pode significar uma poupança de 30€ por mês, por isso, se está no mercado livre de gás, esteja atento aos aumentos que por aí vêm e recorra a um simulador para comparar os preços que paga atualmente com os outros disponíveis no mercado. Para mudar, basta apenas contactar a comercializadora que melhor se adequa às suas necessidades.
Práticas para reduzir o consumo de gás.

Com o aumento das tarifas do gás natural, todas as ajudas são bem-vindas de modo a reduzir o impacto na fatura mensal. Além da mudança permitida pelo governo para o mercado regulado com tarifas mais baixas face ao mercado livre, os consumidores podem e devem também reforçar as práticas de poupança no dia a dia.

Aquecimento e temperatura ideal

Embora em Portugal não ser muito comum ver habitações climatizadas a gás, pois, segundo o Eurostat, a forma mais escolhida para se aquecer a habitação ser a climatização através de termo ventiladores ou aquecedores a óleo, devido ao baixo preço deste tipo de aquecedores e sua rápida colocação em funcionamento. No entanto, existem consumidores
que optam pela climatização a gás. Este tipo de aquecimento é muitas vezes a principal fonte de consumo de energia, à frente das técnicas de cozinha, água, eletrodomésticos, iluminação, etc.
Para este tipo de consumidores existem também formas de reduzir os números da sua fatura final.

Otimize sua produção de calor limitando as perdas de calor, um bom isolamento térmico e alguns cuidados com as instalações através de uma manutenção regular, são essenciais no bom funcionamento dos aparelhos;

Ajustar a temperatura do uso que se dá em cada divisão da casa também permite economias substanciais de energia.

Caso não tenha, pode sempre equipar o seu sistema de aquecimento com um termostato de modo a controlar de forma mais eficaz o seu consumo de aquecimento. Esta solução, embora necessite de algum esforço monetário na hora da aquisição, permite-lhe no futuro adaptar a temperatura da sua casa de acordo com as suas necessidades. Desta forma, pode reduzir o consumo de gás e recuperar o investimento em pouco tempo.

Reduza o consumo de água quente

Para reduzir a sua conta de gás, é recomendável consumir menos água quente. Para isso:

  • Prefira os chuveiros aos banhos longos de banheira e só deixe a água correr quando for usá-la.
  • Instalar um economizador de água no seu chuveiro pode ser uma mais valia na economia no uso da água.
  • Outra dica que muitas vezes nos esquecemos é a de deixar a torneira virada para o frio. Assim o aparelho de aquecimento não é ativado sempre que ligar a água.
  • Tenha em consideração, regular a temperatura a temperatura para 50/55 graus de modo a obter uma maior economia.

Escolha gás natural em vez de propano

Apesar dos aumentos do preço do gás, o gás natural (que é mais económico) continua a ser o mais vantajoso em relação ao gás propano, logo, a melhor alternativa para economizar dinheiro. No entanto, para algumas residências, a conexão de gás á rede de distribuição não é possível.
Como então gastar menos quando o gás propano é a nossa única opção?

  • Opte pela compra do gás propano entre os meses de Abril e Setembro (para abastecer o stock) que é o período em que a procura é baixa, derivada á estação do ano, portanto, apresenta preços mais vantajosos.
  • Conhecer a escala aplicada pela marca para conhecer a evolução dos seus preços no longo prazo de modo a saber com o que contar e tentar manter os seus descontos.
  • Ter em conta todos os custos associados na hora de escolher a marca (etiquetas, custos administrativos, certificado, custos de instalação, manutenção, etc).
  • Considere também outras fontes de energia. A eletricidade é agora mais barata que o propano e a energia solar pode cobrir, pelo menos, metade das necessidades de uma família.

Considere as etiquetas energéticas

Se tiver de escolher uma casa, seja como proprietário ou como inquilino, preste atenção ao seu desempenho energético pois é um dos pontos que terá impacto no seu consumo de gás podendo avaliar antecipadamente o nível da fatura de energia que o espera.

  • A etiqueta energética informa sobre o desempenho energético de acordo com uma escala que vai da classe A (a mais económica) à classe G (a menos económica).
  • O rótulo climático indica o nível de emissões de gases de efeito de estufa, também de A a G.
  • Além da casa, os aparelhos que a equipam devem também ser motivo de análise no que toca a estas etiquetas para uma maior poupança no final do mês.

Monitorizar o consumo de gás

O consumo de energia é um tipo de consumo que não é visível a olho nu e um dos problemas com isto é a falta de “noção” do que é consumido.

Com base neste problema, alguns fornecedores de gás permitem acompanhar o seu consumo via online.

Monitorizar o seu consumo de gás regularmente é importante para entender a sua funcionalidade e implementar as soluções certas para reduzir consumos.

Boas práticas na cozinha

Na cozinha também é fácil reduzir o consumo do gás com gestos simples;

Coloque sempre a tampa nas suas panelas enquanto cozinha, assim, a água ferve 4 vezes mais rápido reduzindo o seu consumo em 20%.

Use panelas e frigideiras cujo o diâmetro corresponda ao das bocas do fogão.

Desligue as bocas do fogão uns minutos antes do final da cozedura e aproveite o calor para finalizar a confeção sem consumir gás.

Adapte o tamanho dos recipientes à quantidade dos alimentos a cozinhar, não são necessários 5 litros de água para cozinhar arroz para 2 pessoas.

Adotando estas boas práticas culinárias poderá verificar uma redução no consumo e na conta final.

Obviamente, existem mais estratégias para reduzir o consumo do gás, no entanto, adotar estes pequenos passos que aqui compartilhamos, já é um bom começo para começar a ver resultados e a economizar de modo a dar uma folga á sua carteira.