• 23 de Maio, 2022

Quanto vale a minha casa?

Você decidiu colocar a sua casa à venda. Você já tem toda a documentação necessária que falamos no artigo anterior. Só resta uma coisa: coloque um preço em sua casa. Como o calcular? Será muito ou será pouco? Será que se ajustará ao que o mercado atual? E a todas estas questões junta-se, além disso, o valor emocional de colocar à venda a casa em que vivemos tantas experiências nos últimos anos…, e isso faz com que não sejamos inteiramente objetivos. Por estes e outros motivos, antes de começar a comercializá-la, é imprescindível solicitar uma avaliação profissional da nossa casa. O que é, para que serve ou porque é importante avaliar uma casa antes de a vender, serão algumas das questões que iremos responder ao longo deste artigo, para terminar com um resumo das 10 razões para avaliar uma casa antes de a colocar à venda.

O que é e para que serve avaliar uma casa

A avaliação imobiliária de uma casa é a avaliação por um profissional, com critérios e metodologia estabelecidos por lei e num determinado momento, do preço de mercado de um imóvel residencial. Ou seja, a avaliação determina qual é o valor de uma casa naquele momento.

Por isso, avaliar a nossa casa antes de vender é fundamental saber qual é o seu real valor. Além disso, se for uma avaliação oficial, agrega valor na hora da venda: oferece segurança durante a venda (será mais difícil negociar o preço)

Avaliação é o mesmo que laudo de avaliação?

Depende do propósito. Se o que queremos é simplesmente ter uma referência do preço da nossa casa, com uma avaliação de mercado através de uma imobiliária experiente, bastaria. No entanto, esse tipo de avaliação não tem validade oficial perante qualquer órgão.

Outra possibilidade é o chamado laudo de avaliação. Elaborado por técnico competente (arquiteto, arquiteto técnico, engenheiro, engenheiro técnico…) e com conhecimento próprio na matéria, é válido perante qualquer administração e órgão. Este Relatório não é válido se o objetivo for solicitar um empréstimo hipotecário para financiar a compra da casa.

Para este caso (e para alguns outros), necessitaremos de uma avaliação imobiliária devido à sua natureza jurídica: são avaliações emitidas por uma empresa de avaliação homologada, assinadas por um técnico competente.

Quais são os aspetos tidos em conta numa avaliação?

Para realizar uma avaliação, o técnico é obrigado a visitar o imóvel, fazer uma planta da casa (tirando medidas e fotos de cada divisão), identificar se o imóvel cadastrado é o correto, verificar a situação urbana do imóvel, a situação do certificado de eficiência energética… Mas, o valor pelo qual um profissional avalia finalmente a nossa casa dependerá também de outros aspetos. Para nomear alguns:

  • Valor de mercado;
  • Localização e orientação;
  • Serviços perto da casa;
  • Áreas comuns e estado do edifício;
  • A superfície útil e distribuição do espaço;
  • As melhorias realizadas e o valor que agregam ao imóvel;
  • A qualidade dos materiais;
  • O estado das instalações.

Qual a vantagem e importância de avaliar uma casa

Não há dúvidas de que ter um laudo de avaliação de uma casa, seja para vender ou comprar, não é apenas vantajoso, mas muito importante. Porquê? No caso do vendedor, porque diante do comprador supõe um princípio de clareza e garantia antes da operação a ser realizada devido a todas as verificações que são realizadas no imóvel. E também, e isso é importante, porque se realmente queremos vender nossa casa e ultrapassarmos o preço de venda, duas coisas podem acontecer: não vai vender, ou se encontrarmos um comprador, eles não conseguirão financiamento. porque o preço fixo está bem acima do preço de avaliação.

No caso do comprador, os motivos são múltiplos. Em primeiro lugar, este relatório permite conhecer em profundidade todos os detalhes do imóvel pelo qual demonstrou interesse: a sua superfície exata (pois a atual pode não coincidir com a registada nas escrituras ou no Cadastro); uma avaliação técnica do estado geral do imóvel; suas qualidades; os problemas que possam afetar a propriedade e seu valor presente e futuro.

Por outro lado, se precisar de financiamento bancário para realizar a operação, precisará ter um laudo de avaliação, que será, como já adiantamos no qual o banco se baseará ao conceder a hipoteca (geralmente e dependendo no perfil do comprador, no máximo 80% do valor de avaliação). Com isso, se o vendedor já oferece, é um grande avanço no processo (é preciso levar em conta o prazo de validade). Nesse ponto podemos nos fazer uma pergunta: E se a avaliação, por determinados motivos, for superior ao valor de compra? Desta forma, o comprador poderia aceder a uma hipoteca que “cobriria” mais de 80% do preço pago pelo imóvel. Mas o que a princípio pode se tornar uma opção “interessante”, no longo prazo se tornará negativa. Uma vez que, além de devermos mais dinheiro ao banco e termos mais juros, teremos que pagar um seguro residencial mais alto.

As 10 razões

Neste ponto, e em resumo, estas seriam as 10 razões pelas quais um vendedor deve ter um relatório de avaliação completo antes de comercializar a sua casa:

  • – Verifica a situação legal e cadastral do imóvel;
  • – Corrobora a situação construtiva e urbana do imóvel;
  • – Evita discrepâncias com o futuro comprador em questões superficiais;
  • – Deteta servidões prediais, deficiências… e possíveis reclamações;
  • Conhece o valor do imóvel feito por um técnico independente, pertencente a uma empresa de avaliação;
  • Transmite transparência e evita distorções de preços de mercado, ao determinar o preço inicial do imóvel e conhecer com segurança as possibilidades de negociação;
  • Reduz os prazos do processo de vendas;
  • Oferece tranquilidade ao vendedor quanto às reais possibilidades de compra do interessado em sua casa;
  • Garante que o processo de vendas siga o ritmo normal, sem surpresas. Resta apenas aconselhar o comprador analisando sua solvência;
  • O vendedor evita conflitos legais em relação aos aspetos que têm a ver com o imóvel que possui, pois oferece todas as informações aos seus compradores desde o primeiro momento.

Em conclusão, deve pensar que antes de começar a anunciar e mostrar o seu imóvel a futuros compradores, deve certificar-se de que controlou os aspetos jurídicos, construtivos, urbanísticos, fiscais e económicos que envolvem a sua casa para evitar qualquer tipo de reclamação e problemas durante o processo de venda, ter uma avaliação prévia ajuda-o a não errar no preço e diferencia-o do imóvel que é seu concorrente na área, reduz o prazo de venda e garante sua posição junto ao comprador.